sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

ORQUÍDEAS - "BOAS IDÉIAS"

BOAS IDÉIAS
- Ao replantar uma orquídea, é necessário retirar com cuidado, todo substrato, além das raízes velhas e secas.


- É importante pulverizar a planta com adubo ou fungicida no final da tarde, mas com cuidado de molhá-las com água antes.


- Ao manusear fungicidas e afins, deve-se usar luvas, em especial quando se trata a planta com o pó azul Peter’s ou de mamona.


-O Cymbidium possui muitas raízes. Consequentemente, necessita de vasos grandes para que as novas raízes se desenvolvam.


- A Phalaenopsis é proveniente da indonésia, preferindo clima quente e úmido. Sua haste floral, na natureza, cresce para baixo. Por isso, se ela não estiver se desenvolvendo dentro de casa, uma dica é pendurá-la de cabeça para baixo. Quando regada, tende a depositar água nas folhas que se tornam purulentas, exigindo a retirada do líquido e a colocação de canela em pó no local.


- A Sophronitis, nativa da mata atlântica, gosta de clina seco e frio, Desse modo é indicado pulverizá-la com água gelada à noite.


- Os caramujos, lemas e “tatuzinhos” são alguns dos inimigos das orquídeas, pois se alimentam das raízes, das folhas, dos botões, dos brotos e das flores. Pode se combate-los com lesmicida. Contudo, ao fazê-los deve-se ter cuidado. É imprescindível usar luvas, pois os lesmicida são perigosos para o homem e os animais domésticos. Uma maneira de retirar os insetos sem agredir a saúde é procura-los a noite com lanterna. Eles sobem para a beirada dos vasos sendo possível, facilmente, retirá-los um a um.


-Os vírus são os maiores problemas que as orquídeas podem enfrentar, pois ocasionam doenças. Uma dica simples, mas valiosa, é esterilizar os instrumentos de corte. Os produtores utilizam o maçarico para esse fim. Em casa, pode-se aquecer as peças na chama do fogão e utilizá-las ainda quentes. Além de esterilizar o material, esse cuidado colabora com a cicatrização. Se não conseguir manusear ainda quente, outra maneira de cicatrizar a planta é aplicando pó de canela, de sulfa ou de enxofre no local cortado.

Essas informações foram obtidas em entrevista com Erwin Bohnke, atual professor de orquidofilia do Orquidário Murumby. Foi discípulo de Peter Meyer Pflug, orquidófilo que incentivou e impulsionou o gosto e o mercado do cultivo dessas plantas, desde a década de 1970, quando as orquídeas tornaram-se mais conhecidas. Admiradas e respeitadas.


Revista O Mundo das Orquídeas – Ano 11 – nº 46

4 comentários:

  1. Oi Bete!
    Vim conhecer seu blog,amei.
    Adoro orquídeas,mas as vezes não sei como cuidá-las,vai me ensinar bastante suas dicas.Te adicionei em minha lista de amigos.
    Parabéns pelo blog.
    Bjus

    ResponderExcluir
  2. Rosemeire,
    Se precisar de algumas dicas e é claro eu puder ajudar , ajudo sim, mande mensagens.
    abraços

    ResponderExcluir
  3. Olá, eu tenho algumas micros, minhas capanemias secaram mesmo com meus cuidados, não sei o que aconteceu, meu CEP 09861-350, tem como me indicar onde conseguir mudas, e alguma sugestão sobre o que pode ter acontecido.
    Parabéns pelo blog, estou procurando o livro HOEHNE, F. H. Iconografia de Orchidaceas do Brasil. ed. São Paulo. 1949, se tiver alguma dica agradeço.
    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Sobre o livro não tenho dica.
    A minha capanemia micromera veio bem até agora, não sei se foi o calor, começou sentir e apodrecer , fiz um replante e também não sei se vou conseguir, espero que sim.
    abraços e uma linda semana

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...