quinta-feira, 8 de março de 2012

COCHONILHA UM INSETO SUGADOR

Insetos em nossas orquídeas - " COCHONILHAS UM INSETO SUGADOR"

Texto e fotos : Darly Machado de Campos (*)

Revista O Mundo das Orquídeas - Ano 3 - Nº 13




Umidade ambiente elevada, altas temperaturas, pouca ventilação, ausência de predadores. Temos aí um local que favorece o desenvolvimento das cochonilhas em nossas plantas.
























Um ataque de cochonilhas vista pela parte superior da folha.Áreas amareladas pela ausência de clorofila que foi sulgada por este inseto.

























A mesma folha da foto 1, vista por baixo. Podemos ver o alastramento da cochonilha debilitando a planta.
A foto abaixo. Um broto novo destruido pelo ataque inicial de Tenthecoris e seguido de uma infestação de cochonilhas na base da folha, onde acumula-se água e favorece também o ataque de bactérias ou fungos.
































A folha nova destaca-se da base. A bainha formou um cálice e reteve muita água. A massa branca que parece indicada, é acúmulo de cochonilha.



Na foto abaixo , temos um ataque de cochonilha na base da folha. Se não for controlado no início, a folha será destruida pela base.























Esta planta foi replantada recentemente e colocada em um local com pouca luminosidade, pouca ventilação e muito úmido. O que vemos é o resultado desta situação favorável ao ataque de cochonilha. Observe: dorso da folha, pseudobulbos, rizoma e até raízes foram tomadas pelas cochonilhas.



















O controle das cochonilhas da planta mostrado na foto 6 e 7 foi feito limpando toda a planta com óleo de NIM e como o substrato era novo mergulhamos o vaso em solução de NIM. É frequente a indicação de sabão neutro para esta limpeza. Entretanto temos observado que usando o sabão, em pouco tempo temos a volta da cochonilha, o que não acontece quando usamos o NIM.
















Mesma planta da foto anterior. Observe o alastramento das cochonilhas em toda a extensão do dorso da folha.
























Em uma mesma folha, temos três diferentes tipos de cochonilhas. Marrom, parda (com carapaça impermeável) e branca sem carapaça.

























Um Paphipdedilum, com folhas destruídas por cochonilhas. A facilidade de acumular água nas folhas facilita o ataque por esses insetos sugadores. O trato cultural desta planta foi feito com uma limpeza e remoção das partes destruídas e contaminhas. Usamos o óleo de NIM e trocamos o substrato. O substrato foi preparado com uma mistrura de xaxim desfibrado, carvão em pequenos pedaços, casca de amendoim moida e terra vegetal. Os ingredientes foram umedecidos com solução nutritiva de adubo, vitaminas e hormônio para raizes.




























Uma planta que, após o ataque de percevejos Tenthecoris, foi infestada por cochonilhas. Limpamos a planta toda com uma esponja e solução de calda de folhas de NIM. Em livros de agricultura natural, podemos encontrar uma grande variedade de tratamentos alternativos para cochinilhas.


























Preventivamente, devemos manter as plantas limpas, principalmente em áreas de fácil instalação das cochonilhas, como embaixo das bainhas dos pseudobulbos.





A bainha tem por função reforçar o pseudobulbo durante sua formação. Depois não tem mais utilidade e deve ser removida completamente.

























As hastes florais e as espatas se deixadas na planta após a floração, poderão acumular água e apodrecer, sendo um local de fácil desenvolvimento de pragas e doenças.













Com um instrumento de corte esterelizado devemos cortar a haste e espata na base da folha.






























Agradecimento


Ao engenheiro Agrônomo dr. André lourenção, da seção de Entomologia do Instituto Agronômico de Campinas, IAC, e a bióloga dra. Silvia De Lamonica Imenes, do Instituto Biológico de São Paulo, pela gentileza ao examinarem as plantas e os insetos encaminhados para identificação e sugestão para controle.





(*) Darly Machado de Campos é cirurgiã destista e presidente da Associação Brasileira de Orquidólogos, ABO, É autor dos livros "Orquideas-manual prático de cultura", "Orquídeas-manual prático de reprodução" e "Orquídeas-pragas e doenças.





Referências bibliográficas:



ABREU JR.H. Práticas alternativas de controle de pragas e doenças na agricultura, Campinas, EMOP. American Orchids Society, AOS, Orchids Pest and Disease.


FIGUEIREDO.F. Associação de Agricultura Natural de Campinas e Região. Comunicações pessoais e palestra na ABO. Prque Ecológico de Amparo.SP.


MYASAKA.S.NAKAMURA.Y.OKAMOTO.H. Agricultura Natural 2ª edição. Cuiabá, Sebrae, 1997.


PENTEADO,S.R. Esalq Piracicaba. Comunicações pessoais e palestra na ABO, Parque Ecológico de Amparo.SP.


STANCATO.G.C. "Principais pragas em orquídeas" in Revista OrquidaRio. Vol.9. nº3 -jul-set 1995.Palestra na ABO - Amparo-SP.



16 comentários:

  1. Estas malditas cochonilhas, destroem nossas pequenas meninas, vamos acabar com estas cochonilhas a base de Calda de Bordalesa e Neem, abç Willy

    ResponderExcluir
  2. Como é triste ver uma delas nas nossas lindinhas.
    abraços amigo

    ResponderExcluir
  3. Ótima matéria, temos q ficar sempre de olho nelas, pois parece q elas aparecem do "nada".
    Abç.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É impressionante, mas perdi vários botões da Microlaelia lundii.
      abraços

      Excluir
  4. Ótima matéria sobre esta praga que nos incomoda muito prejudicando o cultivo de nossas meninas. Precisamos estar sempre atentos e combate-las com todas nossas forças.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E mesmo atentos Willy, as vezes escapa rsrsrs.
      abraços

      Excluir
  5. Tenho muitos problemas com as cochonilhas, onde moro é quente e úmido, então já viu, tenho várias infestações, já perdi muitas plantas, pois tento pelo método natural e não consigo me livrar delas. Agora mesmo estou com umas 6 orquídeas de quarentena. Me falaram também que calda de fumo de rolo com detergente é bom. Vamos tentando de tudo. Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana Paula
      Sei que sabe, mas as vezes é bom a gente relembrar, as regas também influenciam, deixe secar para depois regar novamente e outra coisa não regue a noite se puder sempre de manhã.
      Utilizo detergente neuto, adubo todos os sábados um litro de água 1 colher de café de adubo e umas 5 gotas de detergente pois tem espécie de cochonilha que não gosta detergente.
      abraços

      Excluir
  6. Ajudou-me muito essa postagem, em relação aquela dúvida que lhe enviei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom saber que te ajudou.
      Fiquei feliz
      abraços

      Excluir
  7. Olá Bete ,adorei seu blog !! gostaria de saber o que seria o ( nim) pois não conheço e aonde encontro pois moro no interior de são paulo ,desde já agradeço bjsss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela visita.
      Na minha região encontramos em floricultura e loja de agropecuária.
      Essa espécie traz grandes benefícios para a agricultura e a pecuária. Seus produtos são usados na proteção natural de plantas e animais domésticos contra um grande número de pragas e doenças. Controla lagartas, besouros, gafanhotos, pulgões, cochonilhas, mosca branca e pragas de grãos armazenados. É também indicado no controle de nematóides e doenças provocadas por fungos e bactérias. No tratamento de animais é usado como carrapaticida, vermífugo e no controle da mosca do chifre dos bovinos. É inofensivo aos seres humanos, mamíferos e aves.

      Veja este site:http://www.agrotropical.org/report_oleo_de_nim.html

      abraços

      Excluir
    2. Muito obrigada pela atenção ,abraços e que DEUS lhe abençõe.

      Excluir
    3. Amém a você também, se precisar de algo que eu puder fazer, pode contar comigo.
      abraços

      Excluir
  8. interesting, thanks for sharing these

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...