terça-feira, 6 de março de 2012

DIA INTERNACIONAL DA MULHER - 08 DE MARÇO

A MULHER ...
Nelson Jacintho

Deus descansou o seu sétimo dia de criação. Apesar de reservar esse dia para seu descanso, quis aproveitá-lo para admirar tudo que havia criado, com calma. Saiu cedo para ver o nascer do sol - que coisa maravilhosa estava vendo! Sentou-se debaixo de uma árvore, sobre uma pedra à beira de um regato, para observar a água correr mansa e preguiçosa sobre a rocha, formando pequenas ondulações, tais quais os cabelos soltos de uma formosa sereia mágica. A brisa da manhã vinha chegando calma e sorrateira para acariciar-lhe os cabelos e beijar as flores ribeirinhas da mata, ao longe, começava a acordar com o gorjeio suave dos pássaros madrugadores e os uivos de alguns animais selvagens. Saindo da mata, uma loba procurava defender o seu filhote de um leão faminto, com o risco da própria vida. Mais perto Dele uma ovelha recém-parida lambia, com muita ternura, o borrego que acabara de nascer e tentava manter-se de pé com as quatro patas que, para ele, pareciam estar em excesso. Deus estava tão distraído olhando a sua criação, que se assustou quando o anjo Gabriel sentou-se ao Seu lado, para Lhe fazer companhia:




-Bela criação, Senhor... Que mundo maravilhoso o Senhor criou...!
-Fiz o melhor que pude, disse-lhe o Senhor.
-Maravilhoso, mas incompleto, falta alguma coisa, continuou o anjo.
-Nada falta, disse Deus... Olhe esse nascer do sol maravilhoso, a água límpida desse riacho, a várzea coberta de flores, sinta o perfume delas... Olhe a vida acordando a mata. Olhe com que coragem aquela loba defende o seu filhote. Veja ali a vida aparecendo no campo por meio daquela ovelha com seu lindo borrego. Com que ternura ela cuida do seu recém nascido! Você ainda me diz que está faltando alguma coisa...!?



-Acho que sim, disse o anjo.
- Não tenho mais nada para criar, todo o material que tinha em minha oficina divina foi gasto, não restou nada...
- O Senhor não precisa de material para criar alguma coisa, basta usar a imaginação...
Deus entendeu o que o anjo queria dizer. Pensou por alguns instantes. Pegou a beleza do nascer do sol, a calma do riacho, os cabelos da sereia mágica, a beleza e o perfume das flores da várzea, a carícia da brisa que chegava, o cantar sublime dos pássaros da mata, a coragem e a bravura da loba que defendia o filhote, a ternura e a dedicação da ovelha, juntou tudo e fez... A mulher...

Nelson Jacintho
Da Academia Ribeirão-Pretana de Letras e
Coordenador do Grupo de Médicos Escritores
e Amigos, Dr. Carlos Roberto Caliento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...