sábado, 17 de março de 2012

Vanda e Vandopsis

Vanda e Vandopsis
Orquídeas Manual de Cultivo da AOSP – 2º Volume

VANDOPSIS
Gênero Asiático, com cerca de oito espécies, amplamente distribuídas pelo sul da China. Índia, Filipinas, Nova Guiné, Mianmar, Laos, Vietnã, Malásia, Cmbodja, Tailândia e Indonésia. São plantas monopodiais robustas, variáveis no tamanho, com grandes racimos(ramos) de flores carnudas e duráveis. Muitas das espécies de Vandopsis estavam originalmente incluídas no gênero Vanda. Necessita de substrato muito bem drenado, muita luminosidade, alta umidade relativa do ar e temperaturas entre intermediárias e quente.

VANDAS
Vanda é uma orquídea epifita de crescimento monopodial(crescimento contínuo na vertical) de origem asiática que, para bom desenvolvimento, necessita de calor e umidade. Pode florescer até quatro vezes por ano em condições ideais, mas, se a temperatura baixar a 10º C ou menos durante algumas semanas, pode entrar em estado de repouso ou estagnação por vários meses. Existem cerca de 30 espécie nativas e milhares de híbridos, principalmente intergenéricos, com Ascocentum constituindo as Ascocenda(s) com coloridos inexistentes nas Vandas(s). As primeira gerações de Ascocenda têm flores pequenas devido a influência do Ascocentrum, que tem flores semelhantes às da Vanda, porém de tamanho reduzido (1 a 2 cm), mas a partir da terceira geração, as flores da Ascocenda atingem dimensões semelhantes às da Vanda, confundindo-se com estas.

Adubação
A Vanda precisa de uma boa adubação, que deve ser solúvel em água, para ser usada como adubo foliar, molhando-se os dois lados das folhas e suas raízes, quase sempre aéreas. A frequência da adubação pode ser a cada 5 a 10 dias, exceto quando a planta estiver em repouso. O adubo deve ser bem balanceado, não devendo faltar micronutrientes, como cálcio(Ca) magnésio(Mg) e enxofre(S). A proporção desses elementos mais nitrogênio(N), fósforo(P) e potássio(K) devem ser iguais ou aproximadamente iguais. Suas flores podem durar até 30 dias.

Ambiente
Para conseguir a umidade necessária, deve-se manter o solo constantemente molhado. Esta é uma condição indispensável para seu bom desenvolvi mento. Quanto à iluminação, uma tela de 50% é o suficiente, exceto para vandas de folhas teretes (cilíndricas) como no caso da Vanda teres(=Papilionanthe teres) que, son um telado, pode crescer vigorosamente, mas dificilmente dará flor. Ela irá florir quando estiver em pleno sol, com alta umidade, apesar de as folhas muitas vezes estarem meio amareladas.

Cultivo
Quanto ao plantio de uma Vanda, se tiver poucas raízes, use um vaso de plástico, coloque pedra britada no fundo (1/4 do vaso), apoie e amarre a planta sobre as pedras sem enterrar.Mantenhaa as pedras sempre molhadas. Quando as raízes começarem a aumentar e a sair, retire o vaso, deixe-a aérea, pendurada, que é assim que ela gosta de viver.
Se uma Vanda adulta, bem enraizada, com folhas de igual dimensão do topo a base, não injuriada pelo frio, não florescer, é porque faltou iluminação e/ou rega constante com água levemente adubada. Principalmente em dias quentes e secos. A Vanda deve ser colocada num local onde receba luz filtrada nas horas de sol mais forte e iluminação direta do sol da manhã e do fim da tarde. Não deve haver nenhuma outra planta que lhe faça sombra em qualquer hora do dia.


Cruzamentos
A Vanda, além do Ascocemtrum, pode cruzar com outros gêneroscomo Arachnis, Phalaenopsis, Rhynchostylis, Aerides, etc.

4 comentários:

  1. estou com uma duvida,pois comprei uma mudinha de vanda bem pequena,então ela pode continuar no vaso até as raízes saírem para fora?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um vaso de plastico todo cortadinho bem furado?
      Se for deixe, basicamente as raizes vão ficar todas fora do vaso.
      abraços

      Excluir
  2. Adoro Vandas!!!!
    Beijocas,
    Cynthia
    cynthiablanco.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também gosto e acho uma planta de fácil cultivo, na minha região
      abraços

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...