domingo, 30 de setembro de 2012

Christensonella cogniauxiana

Maxillaria cogniauxiana

Maxillaria cogniauxiana



Sorteio - Extração 04697 de 29/09/12

1º - 45470
2º - 42519
3º - 30079
4º - 61650
5º - 60577

Não teve ganhador, para não prolongar, na terça feira próxima ,estarei fazendo sorteio com os nº dos inscritos. Estarei publicando o nome e nº do ganhador.

Estou querendo fazer um outro sorteio em dezembro, alterando para: Cada inscrito  escolhe e publica seu nº, acho que vai ser mais fácil ter um ganhador no dia  do sorteio da  Loteria Federal.

abraços

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Acianthera oligantha

Acianthera oligantha  do blogdabeteorquideas

Acianthera oligantha  do blogdabeteorquideas



Acianthera oligantha
Espécie de baixo crescimento e rizona vigoroso, de onde surgem hastes cilíndricas, verdes e grossas de 10 cm de altura, portndo folhas verde claro de 10 cm de comprimento, grossa espatular, coriácea e densamente vincada. Escapos florais curtos que saem da base das folhas e portam até 4 flores. Flor de 1 cm de diâmetro com pétalas e sépalas grossas de cor amarelo ouro densalmente pintalgado de marrom bronzeado. Labelo pequeno de cor púrpura escuro. Floresce no verão.
Revista O Mundo das Orquídeas – Ano Ano 4 Nº 24
Foto e cultivo : Elisabete Delfini

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Cattleya nobilior

 
Cattleya nobilior do blogdabeteorquideas

Cattleya nobilior do blogdabeteorquideas

Cattleya nobilior do blogdabeteorquideas



Cattleya nobilior possui flores delicadas, com destaque para o vivo colorido do labelo, formando admirável contraste com o lilás de suas sépalas e pétalas, geralmente bem armadas, que despertam a admiração de colecionadores em todo o mundo.

 Introdução e variedades

A variedade caerulea, pelo seu azul em tom carregado nas sépalas, pétalas e labelo, este ostentando na fauce uma mácula amarela, desperta aquele desejo que todo orquidófilo tem: a posse de um exemplar desta fabulosa variedade.
 A variedade alba, com suas sépalas e pétalas em branco puro, com o labelo da mesma cor apresentando na fauce um leve colorido amarelo, causa o mesmo fascínio.

 Mas o interesse de colecionadores por estas plantas deu-se a partir da descoberta da variedade que seria posteriormente denominada amaliae. Descoberta na década de 60, na cidade de Taguatinga, no Tocantins, pela educadora, jornalista e orquidófila de Goiânia, Amália Hermano Teixeira, já falecida.
 As plantas desta variedade têm aspecto robusto, apresentando uma floração de colorido róseo-azulado ou róseo bem claro, com labelo amarelo-limão, em tonalidades diversas, mas ricamente estriados.
 O cultivo desta espécie é reconhecidamente difícil, mas, conhecidas algumas peculiaridades, torna-se possível.
 Proporcionando às plantas um ambiente igual ou mesmo superior ao que ela tem na natureza, consegue-se boa qualidade de vida e consequentemente, floração exuberante.
 O uso de placas de madeira, principalmente a resistente e durável casca de peroba, traz essa aproximação. Oferece um bom desenvolvimento das plantas, que espalham suas raízes em todas as direções.
No seu habitat elas ficam meses sem receber água das chuvas. É no período chuvoso que elas absorvem grande quantidade de umidade, armazenando reservas para a época da floração. São ávidas por luz, mas não toleram, por longo período, temperaturas elevadas, superiores a 40 °C. Este acontecimento provoca danos às folhas, grandes manchas negras, provenientes de queimaduras.
 A rega é ponto importante no cultivo, devendo ser rigorosamente controlada, porque as raízes desta espécie não toleram umidade constante, fato que provoca o apodrecimento das mesmas. Uma boa ventilação é necessária para que a umidade seque rapidamente. A melhor hora para a rega é aquela que coincida com o pôr-do-sol.
 Esta espécie é um vegetal do tipo CAM - Metabolismo Ácido Crasuláceo - controlador da transpiração, isto é, negativa durante o dia, quando os poros estão fechados para impedí-la, e positiva durante a noite, quando os poros se abrem para absorver umidade.
 Foi a partir de 1983 que uma verdadeira corrida por este tesouro espalhou-se pela região. Coletou-se tudo sem a menor preocupação quanto à seleção de exemplares. A devastação atingiu um nível elevado, agravando-se ainda mais com a implantação de projetos agropecuários que exigem, de início, a derrubada de árvores e posterior queimada, quando tudo é destruído pelo fogo. Esta atividade vem sendo intensificada de maneira avassaladora.
 Mais de um século decorreu para que a Cattleya nobilior conquistasse esta posição de destaque entre tantas outras espécies notáveis. Ter a oportunidade de contemplar a floração de uma "Lori", "Senhor Emilio", "Olimpus", "Dom Rafael Wenzel","WWC(uma das mais perfeitas circunferência em forma, no que diz respeito a flor, já encontradas)"e "Mário Arruda Mendes", de tipos: Caeruleas como "Suzuki" e "Aurora" e de Amaliaes, "Sérgio A. A. Oliveira", "Tropical" , "Southern Cross", "Natália", "Caroline", "Perfection", "José Luiz" e "Madalena".
 A Cattleya nobilior foi descrita por Reichenbach em 1883 no L'Illustration Horticole. Curiosamente foi desenhada por Lucien Linden, que desde o primeiro momento preocupou-se em mostrar a diferença morfológica da planta para assim talvez distinguí-la da Cattleya walkeriana de Gardner. 

Seu nome em latim, o Padre José Gonzales Raposo, significa "mais nobre", provavelmente o autor da descrição se referia a mais nobre que a Cattleya walkeriana.

 Habitat

 Cattleya nobilior tipo: originárias dos estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, sul do Maranhão e Tocantins, estas plantas, de cor lilás-claro ao lilás-escuro, preferem estar sempre junto aos cursos de água perene, portanto repletos de umidade o ano todo. Vegetam normalmente sobre árvores frondosas que lhes proporcionam muita ventilação. Florescem em Julho/Agosto.
 Cattleya nobilior var. Amaliae Pabst: encontram-se em extensa faixa do norte do estado de Goiás, sul de Tocantins e sudoeste da Bahia. Normalmente estão alojadas em árvores baixas, típicas do cerrado brasileiro. Diferem-se da forma típica por apresentarem cor rosa-claro com labelo amarelo-limão, intensamente entrecortado de veias lilás-escuro. Florescem em Setembro/Outubro.
 Curiosidade
 Os antigos botânicos acreditavam que a Cattleya nobilior era um híbrido natural entre a Cattleya walkeriana e a Cattleya violacea, teoria totalmente descartada nos dias de hoje.

  Dicas para o cultivo

 As dicas de cultivo desta espécie vêm da observação da sábia natureza. Nas regiões onde elas ocorrem existem dois períodos bem definidos: verão (seca) e inverno (chuva). O que nos leva a crer que estas plantas necessitam passar por um período de seca antes da floração (entre Maio e Junho) e conseqúente aumento de regas após a floração em Agosto/Setembro, quando então produzem seus bulbos vegetativos.
 Até hoje nunca foi vista a Cattleya nobilior florir em bulbos com folhas normais. Suas flores saem em bulbos especiais sem folha. Acredita-se que estas plantas possuem algum tipo de carga genética que possibilita a floração em bulbos especiais para economia de energia, por florirem em plena seca.
 A maioria dos orquidários as cultivam em cascas de peroba ou algum outro tipo de madeira, materiais que não permanecem molhados por muito tempo.

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Foto e cultivo : Elisabete Delfini


Sorteio no Blog : Cattleya wakeriana + Maxillariella tenuifolia + Uma microorquídea de brinde, correrá pela loteria federal no sábado dia 29/09/2012 às 21 horas. As inscrição vão até o dia 28/09/2012 às 18 horas.


Octomeria gracilis

Primeira florzinha aos meus cuidados, confesso que gostei da titiquinha.
Só não sei dizer se está atrasada, adiantada ou na época.
Nome na imagem está incorreto. Octomeria gracilis
Octomeria gracilis  do blogdabeteorquideas



Sorteio no Blog : Cattleya wakeriana + Maxillariella tenuifolia + Uma microorquídea de brinde, correrá pela loteria federal no sábado dia 29/09/2012 às 21 horas. As inscrição vão até o dia 28/09/2012 às 18 horas.

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Orquídeas : "bonitas para atrair insetos"

 Dentre as espécies de flores nativas do Rio Grande do Sul, as que mais impressionam o leigo pela beleza são as orquídeas. Trata-se de uma família muito grande: são entre 20 e 30 mil espécies no mundo todo. No Rio Grande, existem mais ou menos 350 espécies. E o local onde se encontram em maior número é na Mata Atlântica. Essa é uma região úmida durante todo o ano, não tem temperaturas extremas e, o que é mais importante, tem serras voltadas para o mar - o que torna a região não só úmida mas com uma precipitação anual elevada. Todas as epífitas, por não terem solo disponível, precisam de muita chuva, o que explica a grande presença de orquídeas na Mata Atlântica.




 
 Não é só ali, entretanto, que existem orquídeas. Elas estão até nos campos e banhados. Mas predominam mesmo as espécies de mata, com grande destaque para as epífitas que, pelos cálculos de especialistas, significam três quartos das espécies existentes no Estado. Há, entretanto, uma grande variação de tamanhos. A minúscula Platystele oxyglossa, que pode ser encontrada na Mata Atlântica, tem dois centímetros de altura, com flores de dois milímetros. Já a Laelia, uma das preferidas dos colecionadores, tem flores que podem chegar a vinte centímetros de diâmetro.


 Cada tipo de orquídea é atraente para um tipo de inseto, e suas formas, tamanhos e cores irão variar de acordo com a espécie que as poliniza. Existem, por exemplo, orquídeas que são polinizadas por moscas. Essas têm flores pequenas de cor vermelho-escuro combinando com verde-pálido, que imitam a carne em decomposição. Muitas vezes têm um odor que, para os humanos, é desagradável, mas que para as moscas é Chanel número 5. Já as que são visitadas pelas mariposas têm flores brancas, com um tubo bem comprido, no fundo do qual está o néctar. É que as mariposas têm uma língua comprida.

 Aquelas cujos clientes são os beija-flores investem no vermelho, ou em cores vibrantes, as preferidas desses pássaros. Têm também grande quantidade de néctar - afinal, a massa corporal de um beija-flor é bem maior do que a de uma abelha, e ele precisa de mais "combustível". Mas, se gastam em néctar, economizam em odor: como pássaros não têm olfato, essas orquídeas não cheiram. Contudo as mais belas são aquelas que são visitadas por abelhas, como a Cattleya e a Laelia. Trata-se, no caso, de uma verdadeira competição de beldades - as abelhas que polinizam orquídeas também são belíssimas.


Fonte : RS Virtual : http://www.riogrande.com.br/ecologia/eco7.htm
Fotos e cultivo : Elisabete Delfini

Sorteio no Blog : Cattleya wakeriana + Maxillariella tenuifolia + Uma microorquídea de brinde, correrá pela loteria federal no sábado dia 29/09/2012 às 21 horas. As inscrição vão até o dia 28/09/2012 às 18 horas. 

domingo, 23 de setembro de 2012

Cristensonella cepula

Cristensonella cepula do blogdabeteorquideas

Cristensonella cepula do blogdabeteorquideas



Sorteio no Blog : Cattleya wakeriana + Maxillariella tenuifolia + Uma microorquídea de brinde, correrá pela loteria federal no sábado dia 29/09/2012 às 21 horas. As inscrição vão até o dia 28/09/2012 às 18 horas. 

sábado, 22 de setembro de 2012

Zygopetalum crinitum

Zygopetalum crinitum  do blogdabeteorquideas

Zygopetalum crinitum  do blogdabeteorquideas




Zygopetalum Crinitum

Espécie com pseudobulbos ovoides de 6 cm de altura, coroados com duas ou três folhas de 35 cm de comprimento. Inflorescência de 50 cm de altura, com cinco a sete flores. Flores com 5 cm de diâmetro, com pétalas e sépalas verdes, maculadas de castanho. Labelo obovoide, de cor branca, com veias de cor púrpura-azulada, adornando com  limbos de pelos roxos. Calo curto e amarelado. É muito perfumada e floresce entre julho e setembro.
Revista O mundo das Orquídeas – Ano 2 Nº 7
Foto e cultivo : Elisabete Delfini

Sorteio no Blog  : Cattleya wakeriana  + Maxillariella tenuifolia  + Uma microorquídea de brinde, correrá pela loteria federal no sábado dia 29/09/2012 às 21 horas. As inscrição vão até o dia 28/09/2012 às 18 horas. 

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Spathoglotis unguiculata -Asiática com Fragância "Uva"

Spathoglotis unguiculata do blogdabeteorquideas

Spathoglotis unguiculata  do blogdabeteorquideas



SPATHOGLOTTIS

Fotos : Elisabete Delfini
Matéria : Fonte  : PLANTASONYA

Gênero pertencente à família das orquídeas, tropical terrestre com mais de 40 espécies. Produz floração contínua ao longo do tempo. As cores variam na faixa da púrpura, amarelo ao branco. Muitas vezes chamada de “orquídea de jardim”, fornece um colorido aos jardins em climas quentes e mesmo em épocas temperadas.
Encontrada em região de mata úmida, rica em matéria orgânica, luminosidade natural de 60%, pode ser plantada em vaso grande embasado de pedriscos, brita ou cacos de telha para boa drenagem, substrato composto de uma parte de terra vegetal rica em humus, uma de areia grossa, casca de arroz carbonizada e esterco orgânico curtido.
Uma vez adaptada pode ser plantada em canteiros de jardins sob sol pleno. Suas flores de cor púrpura rosada escura, e labelo amarelado na base, medem cerca de 3 cm de diâmetro. A haste floral que sai da base dos pseudobulbos quadrifoliados plicados e flexíveis forma um cacho de flores mais espaçadas na ponta, e à medida que aquelas flores mais velhas secam, as demais em formação continuam florindo; dura mais de um mês essa floração. Bem cuidada floresce o ano todo.
A floração dura até 30 dias. Vive sobre a terra. Fragrância: uva.
Habitat: Ásia.
Luz: Meio sombreamento.
Temperatura: 15° à 24°C (noite/dia).
Ventilação: Deve ser boa. A ventilação pode ajudá-lo a controlar a temperatura, sendo mais importante ainda para evitar o aparecimento de insetos e fungos. Lembre-se: ventilação não é vento canalizado.
Água: Cuidado geral. Na época em que a planta não esteja apresentando crescimento vegetativo tanto a adubação como as regas devem ser diminuídas.
Umidade: Média. Não deve secar. Mas deve ter boa drenagem.
Adubação: Cuidado geral.

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Specklinia colorata

Specklinia colorata  do blogdabeteorquideas

Specklinia colorata  do blogdabeteorquideas


Sorteio : Cattleya walkeriana e Maxillaria tenuifolia + uma microorquídea de brinde


O sorteio no Blog  : Cattleya wakeriana  + Maxillariella tenuifolia  + Uma microorquídea de brinde, correrá pela loteria federal no sábado dia 29/09/2012 às 21 horas. As inscrição vão até o dia 28/09/2012 às 18 horas. O sorteio se dará da seguinte forma:



1-      O número a que cada inscrito está concorrendo será aquele formado pelos três últimos números do dia e hora que consta no post do candidato/a, p. ex., se o candidato/a postou seu comentário de inscrição dia 20 às 17h30m o número com o qual estará concorrendo será 730.

2-      Ganhará o sorteio aquele/a que tiver seu número coincidente com os três últimos números do 1º prêmio da loteria federal.

3-      No caso de nenhum dos inscritos ser contemplado, valerá para a concessão do prêmio os três últimos números do 2º prêmio da loteria federal e assim por diante, até o 5º prêmio.

4-      Por fim, se ainda nenhum candidato tiver sido contemplado, haverá a chance de concorrer com dois novos números obtidos pela soma de cada um dos algarismos do número original do candidato/a, aplicando-se a mesma lógica dos itens 2 e 3 acima, primeiro com o resultado da soma dos três algarismos (p. ex., se o número original for 730 somar-se-ão 7+3+0 = 10), depois com o resultado da soma dos dois últimos (p. ex., se for 730, somar-se-á 3+0 = 03).
5-  Para participar você só precisa deixar um comentário dizendo que quer participar. Caso não seja um seguidor blogueiro, deixe um contato para localização.
abraços

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Pleurobotryum hatschbachii

Pleurobotryum hatschbachii  do blogdabeteorquideas

Pleurobotryum hatschbachii  do blogdabeteorquideas



Pleurobotryum hatschbachii
Ex Pleurothallis hatschbachii
Pequena espécie epífita que vegeta em pequenos arbustos de matas abertas na Serra do Mar. Planta apresenta rizoma dino e roliço de onde surgem caulistas finos pendentes, encimados por folhas finas, acuminadas e roliças com forte vinco. Elas parecem folhas de algumas Octomeria ou até de Brassavolas. Da base dessas folhas, saem escapos florais de 8 cm de comprimento, finos e também pendentes com até 10 flores que se abrem sucessivamente. Flor de 1 cm de diâmetro com ´pétalas verde-amareladas densamente pontilhadas de púrpura. Labelo diminuto. Floresce na primavera.
Revista  O Mundo das Orquídeas – Ano 4 Nº 20
Fotos  e Cultiva : Elisabete Delfini
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...