segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Cattleya walkeriana


Cattleya walkeriana
 
 
 

Sinônimos: Cattleya bulbosa Lindsey, Epidendrum walkeriano Reichenbach, Cattleya gardneriana Reichenbach, Cattleya schroederiana Reichenbach.
Origem:  Brasil
Dimensão da Flor: 10 cm de diâmetro
Época da Floração: Pico - maio e junho
Foto e cultivo:  Elisabete Delfini
Descrição: Espécie com floração hibernal, crescimento esparramado e desordenado. Vegeta sobre árvores ou rochas numa altitude entre 700 e 1.000 metros. Pseudobulbos, curtos cilíndricos, fusiformes e sulcados com uma única folga elíptica-lanceolada, coriácea. Inflorescência que nasce de falso pseudobulbo com duas a três flores de 10 cm de diâmetro. Flores com muita substância e grande durabilidade. São de cor rosa-púrpura até magenta. Labelo panduriforme, plano branco no centro e magenta no restante, com zona marginal mais escura. Destacam-se em seu tipo os clones Feiticeira e Feet e na variedade Princess, cujas hastes florais saem do ápice dos pseudobulbos, base da folha. Existem belíssimas variedades albas, semi-albas e caeruleas.
Dicas para cultivo
A fácil adaptabilidade dessa espécie se comprova na maneira como é cultivada. No Brasil, que abriga todos os tipos de clima, temos visto a Cattleya walkeriana cultivada em vasos de cerâmica baixos e furados (chamados piracicabanos), em vasos comuns com xaxim desfibrado, em pequenos pedaços de casca de árvore (peroba, aroeira, ipê, etc.), em casca de pinheiro, em placas de xaxim ou, ainda, em muros de pedra. É uma planta que tolera muito bem a luz solar intensa, porém não direta. Gosta de ambientes úmidos e bastante ventilados, detestando substratos encharcados.
Em Rio Claro (175 km ao norte de São Paulo), resistem muito bem às altas temperaturas de verão (38°C), assim como às baixas temperaturas de inverno (10°C), ocasião em que devem ser protegidas do vento frio do sul e ter suas regas diminuídas.
O pico de floração é no mês de Maio, o que lhe faculta os mais variados cognomes: flor de Maria, flor das noivas, flor das mães, flor de inverno, etc. Após o aparecimento das flores, dá-se a brotação pesada, por volta do mês de Agosto, período em que deve-se intensificar as regas e a adubação para a formação do bulbo vegetativo. É importante lembrar que a Cattleya walkeriana pode florescer em broto especial ou em broto com folha comum (Cattleya walkeriana variedade princeps, que floresce em Setembro).
É uma planta extremamente sensível às divisões (separação de mudas). Para poupá-la, deve-se evitar a floração no ano seguinte à divisão. Com este cuidado, ela economiza forças. Quando a planta mostra os botões, deve-se cortá-los utilizando ferramenta esterilizada para evitar contaminações, vírus ou bactérias. Isto pode ser feito usando-se a chama de um isqueiro ou vela por uns trinta segundos na lâmina da ferramenta.
Nesta espécie, são encontradas as formas tipo lilás, alba (branca), coerulea (azulada), semialba (branca com labelo lilás), lilacínea (rosada), flammea (lilás com riscos púrpura), vinicolor (vinho), entre outras.
Pesquisa: Revista O Mundo das Orquideas – Wikipédia; a enciclopédia livre – Orchidstudium,

4 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...